Cristãos estão se calando diante da “Onda Erotizante”?

Evangélicos se calam até em defesa de outros crentes que a mídia detrata; o Papa está sofrendo pressões terríveis de grupos pan-sexuais; as famílias não têm mais forças contra a mídia imoral.

Foi preciso uma psicóloga falar e sentar o malho contra a Xuxa para acordar os cristãos? Não sei não: Talvez a maioria esteja mesmo dormindo, como mostrou John Carpenter no filme “Eles vivem”! (vejam NESTE link).

Não vi nem ouvi nem falo macacosEstamos às vésperas da “sodomização” da Humanidade, ou daquele momento histórico em que não existirá mais qualquer diferenciação entre o chamado sexo sadio e o sexo doentio, pois ninguém mais, nem mesmo médicos e psicólogos, dirão qualquer coisa em contrário, por mais clara que seja a evidência de patologia, e por mais aberrante que seja o caso analisado (claro que por “patologia” aqui nos referimos a doenças da alma – e nem poderia ser diferente, pois quanto ocorre evolução na Medicina, menos doenças atacam o homem pós-moderno). Se dará o caso então, a rigor, de que a pós-modernidade chegará a ficar pior do que Sodoma, porquanto os depravados terão o aplauso e o apoio de todo mundo, inclusive das instituições supostamente inventadas para proteger menores e indefesos de um modo geral (em Sodoma, os depravados eram abominados dos cidadãos sérios de lá, que eram poucos, mas eram praticamente unânimes com os povos estrangeiros).

Será o tempo em que os artifícios “intelectuais” mais sórdidos terão encontrado argumentos psicológicos eficientes para convencer à Humanidade de que não há mal algum em adultos se deitarem com crianças, tal como dizia Michael Jackson quando foi entrevistado sobre as acusações que lhe fizeram, antes que ele comprasse, por muito dinheiro, o silêncio das famílias das vítimas. Afinal, convencer crianças de “brincadeirinhas lascivas” não será tão difícil, se os pais já tiverem, tempos antes, transado na frente dos filhos ou permitido a visão deles de cenas eróticas…

Todavia, ouso dizer que para o inimigo da Humanidade, NÃO SERÁ a depravação das crianças o seu objetivo predileto, pois esta não atingirá diretamente à Noiva de Cristo (a igreja). O que atingirá dramaticamente a igreja será algo dirigido contra o próprio Jesus, e aí poderá cumprir a profecia que diz que “até os eleitos serão enganados”. E o que atingirá diretamente a Jesus? Será a divulgação de uma peça de mídia (um filme de Hollywood, uma novela da Globo ou uma notícia internacional de Arqueologia – dizem que uma infame peça já foi filmada) na qual Jesus apareça como permitindo alegremente todas as “libertinagens” possíveis, ou pior, aparecendo como homossexual e promíscuo, transando com todos os apóstolos sem qualquer culpa. Aí sim. Neste dia, somente os verdadeiros crentes, solidamente convictos de que esta era a última arma de satã, sairão ilesos da onda erotizante (aliás, onda pan-sexualizante).

Ilesos? Talvez não, se levarmos em conta a raridade da pureza entre os atuais crentes, que também apreciam um filme pornô e um namoro “pegado” (suas igrejas, afinal, estão cheias de homossexuais, como estão os seminários católicos, e a atual safra de padres faz vergonha a Baco e a Messalina*). E a opinião geral das igrejas? Pergunte-se: Você conhece alguma igreja de hoje em dia que levante a voz denunciando o homossexualismo como pecado, e que não esteja receosa da perseguição e esvaziamento que sofrerá? Não vê o que têm sofrido pregadores como Malafaia, Feliciano e outros solitários tidos por “heroicos”?… E, ao contrário, não vê que tais arautos levantam muito mais pastores e crentes contrários a eles, os quais vão até à mídia detratá-los, e defender posições de “condescendência” em favor das “minorias” depravadas?… Isto até lembra aquela velha campanha antidroga…

Drogadeamigo[Não se leve em conta aqui as posições doutrinárias de ambos, pois assim como estão certos em sua grita contra a depravação do mundo, podem estar errados em suas opiniões públicas acerca de denominações, julgando umas e outras, falando mal de teologias que não conseguem entender por pura limitação mental ou simplesmente vendendo o seu peixe proselitista! – Nada disso vem ao caso aqui].

Enfim, chegou uma hora de decisão. Não dá mais para ficar em cima do muro! Os que forem mornos, que se manifestem! Os que se mantêm fiéis ao primeiro amor Ágape, que abram logo suas casas (para receber perseguidos) e fechem suas igrejas (para separar aqueles que querem contaminá-las). Deus está conduzindo o mundo àquele tempo em que as diferenças entre crentes apontarão para os verdadeiros eleitos, os quais deverão ser os “arrebatados da primeira hora”. A guerra final se dará também neste plano: aqueles que aderiram à Onda Erotizante e os outros, solitários, celibatários ou bem casados, que darão a Deus o prazer de contar com os últimos remanescentes da decência.

Foi por isso que Jesus disse, em alto e bom som: “aquele que resistir até o fim será salvo”. Pergunte-se: Resistir a quê? À Onda? Não, propriamente. Mas resistir com seu velho discurso, o bom e ‘velho’ Evangelho do Reino, negando capitular diante da mídia e mudar de opinião. Serão os heroicos sobreviventes de uma guerra sem mártir, mas que agora os vê retornar com sua pureza, fugindo dos prazeres depravados do mundo. Como diz a canção, “E então foram mortos no centro da praça pública”…

_______________________________________

(*) Nota do texto (acompanhe no link seguinte): Sinal de suplício do Papa?  Aqui pode estar um sinal explícito de suplício do Papa: pressionado pela profusão e pela multidão de padres gays ao seu redor, Francisco começa a arrefecer o discurso e tenta desviar o foco do homossexualismo com outras mensagens evangelizatórias. É duro constatar, mas os antigos estavam certos quando diziam que “se a corrente for forte demais, é melhor largar os remos”…

Sobre Prof. JV de Miranda

João Valente de Miranda Leão Neto é bacharel em Administração de Empresas, com pós-graduação em O&M. É bacharel em Teologia, com licenciatura plena em Ciências da Religião. É técnico em desenho de arquitetura e Photoshop, telefonia, mixagem musical e editoração de som. É pesquisador de paraciências e ufólogo, poeta e ex-articulista de jornais de circulação no Nordeste. É redator e revisor autônomo de textos e dissertações na Grande Rede.

Esta entrada foi publicada em Arte de Desaprender. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *